Como ser blogger a tempo inteiro #blogging101

Como ser blogger a tempo inteiro #blogging101

Há largos meses que não escrevia sobre blogging, não por não ter imensa coisa por dizer mas porque entretanto mesmo o tempo para outro tipo de artigos tem sido escasso e este foi um tema que acabou por ficar mais de lado, até mesmo com a reformulação de tipos de conteúdos publicados por aqui. No entanto sei que muitas sonham em ter o seu próprio blog e, mais que isso, sonham trabalhar com o blog a tempo inteiro. É fácil? Não. É possível? Sim, mas com algumas nuances que vou tentar explicar no artigo de hoje.

 

Fator tempo

Como provavelmente já devem ter reparado, as bloggers que se têm destacado em Portugal mais recentemente são pessoas que começaram os seus blogs quando ainda estavam na escola/faculdade. Não é uma coincidência, e não é só porque ali entre os 16 e os 23 estamos no auge da beleza. A verdade é que um blog consome muito tempo, e um bom blog consome o tempo quase todo. Começa pelo tempo a desenvolver conteúdo, fotografar todos os dias com luz do dia, e passa pelo tempo para ir a eventos, a maioria em horário laboral e muitos deles a ter de passar dias fora. Um comum mortal, mesmo que esteja num trabalho das 9h às 18h, não pode simplesmente faltar uma manhã, uma tarde ou uma sexta-feira inteira, várias vezes por mês, para cumprir as agendas da blogosfera.

Assim sendo, é muito mais fácil conseguirem fazer crescer o vosso blog enquanto ainda têm muito tempo, podem faltar (quase) quando quiserem e têm o suporte financeiro da vossa família, do que mais tarde quando têm um trabalho que mal vos deixa tempo para respirar e não conseguem pagar as contas sem ele.

 

Uma mão cheia de cuidados

Ter um  blog/instagram/youtube de sucesso não é matemático, era bom que fosse, mas existem vários ingredientes que ajudam muito a chegar lá e a maioria deles envolvem investir muito do vosso tempo – o que corrobora o ponto 1. Entre eles estão:

  • ter excelentes fotografias. Todas as vossas fotografias devem ser extremamente cuidadas, com alta qualidade e editadas de forma a inspirar e dar vontade de continuar a acompanhar o vosso trabalho. E quem diz fotografias, diz vídeos para quem quer apostar no Youtube. Isto requer material de qualidade e portanto algum investimento financeiro;
  • contar uma história. Mesmo que através de imagens, é importante que as pessoas tenham qualquer coisa para seguir. É por isso que as bloggers que postam sobre as suas próprias vidas acabam por ter mais sucesso, porque há sempre alguém interessado em saber o que é que vestiram hoje, onde é que foram, o que é que comeram;
  • ser consistente. Há poucas coisas que ajudem mais o vosso sucesso do que a consistência. No início vão ter de postar religiosamente todos os dias, e todos os dias vão ter de apresentar conteúdos o mais espetaculares possível;
  • aparecer online. Seguir pessoas, fazer likes, deixar comentários, e fazer isto repetidamente todos os dias, é a melhor forma de expandirem o vosso trabalho. Mas fazer isto consome muito tempo e é preciso muita paciência para mais de 100 comentários e mais de 1000 likes por dia, todos os dias, no Instagram. Sim, os números são assim elevados se querem rapidamente expandir-se;
  • aparecer offline. Para além do tempo a dinamizar e interagir online, é preciso aparecer offline, ir aos eventos, falar com quem lá está, tanto bloggers como as responsáveis das agências de comunicação e das marcas. Não, não é dar graxa e lamber botas, é ser social e fazer-se notar por boas razões.

 

Cobrar pelo trabalho

É natural que no início, e com poucos números, não cobrem dinheiro pelo trabalho que desenvolvem, até porque dificilmente alguém iria aceitar pagar-vos. Mas existe um momento em que os números vão começar a crescer, e será impossível viverem do blog a alimentarem-se de maquilhagem, roupa e produtos de cosmética certo? Por isso façam as marcas ver isso, estabeleçam os vossos preços, falem com outras bloggers e tenham noção de quanto cada uma cobra, relacionem isso com os números delas e vejam quanto é que os vossos próprios números podem valer. AH, e nunca se esqueçam disto: o número de interações é MUITO mais importante do que o número de seguidores. Lá porque vocês têm um blog que só faz passatempos e entretanto conseguem 40 mil seguidores no Facebook, isso não significa que essas pessoas estejam interessadas no vosso conteúdo e sejam realmente mais valias para as marcas. Essas pessoas provavelmente só estavam mesmo interessadas nos prémios dos passatempos, tudo o que seja fora disso nem vão ligar. É importante é analisarem por cada post, por cada publicação, quantas pessoas fazem like, quantas pessoas comentam, quantas é que são realmente as pessoas que prestam atenção.

 

O blog como um extra

Outra forma, mais fácil e rápida, de se dedicarem ao vosso blog a “tempo inteiro” é associarem-lhe um negócio. Há quem seja consultora de imagem, há quem seja designer freelancer, há quem faça e venda agendas, material de escritório, biquínis, almofadas de praia, lenços, bijutaria… se conseguirem criar um produto realmente bonito e que apele a todos os que procuram inspiração, com um pouco de marketing conseguem uma marca de sucesso que, quando associada ao vosso blog, vos vai dar um destaque completamente diferente. Para além do destaque – é provável que isso não vos transforme numa hit blogger mas certamente vai impulsionar bastante o vosso blog – é uma forma de ganharem dinheiro, e, portanto, conseguirem gerir o vosso próprio negócio que passa pelas vendas e pelo blog em simultâneo.

 

Atitude profissional

Tudo o que disse acima é essencial, mas sem profissionalismo nenhum negócio irá resultar, nem mesmo o de ter um blog. Parece tudo giro não é? Mas existe muito trabalho por trás daquilo que aparece nas redes sociais. Organização, planeamento, gestão… acordar cedo, deitar tarde, fazer coisas que não apetece, tudo isso faz parte, mas no fim vai valer a pena. Entendam que o vosso blog, o vosso Instagram ou o vosso Youtube (seja lá qual for o meio no qual querem trabalhar) é a vossa marca, e vocês são a imagem dessa marca, o sucesso ou fracasso passam a estar dependentes de todas as vossas atitudes das maiores às mais pequenas.

 

Não é um processo fácil, e em Portugal ainda estamos agora a iniciar o hábito de pagar mesmo por parcerias menores, a maior parte das marcas acha que um produto é mais do que suficiente para pagar todo o trabalho que um verdadeiro influenciador digital tem para divulgar aquele produto de forma decente, mas a culpa também é de todos os que aceitam fazê-lo em troca de quase nada, e de todos os que o fazem de uma maneira displicente e pouco cuidada. Invistam nas vossos fotografias, preocupem-se com a imagem dos vossos espaços e sejam profissionais acima de tudo, vão ver que faz toda a diferença! ♥

 

Follow:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *