Descobrir Lisboa #14 // Populi

Descobrir Lisboa #14 // Populi

No verão é sem dúvida quando me sabe melhor jantar fora, os dias mais longos, o por do sol tardio, o calor, fazem com que terminar o dia numa boa esplanada com comida deliciosa seja um recarregar de energias para o dia seguinte. Acredito mais gente se sinta como eu, e por isso não podia deixar de partilhar a minha visita ao Populi.

Vivendo em Lisboa há 2 anos, ainda gosto de me comportar como turista de vez em quando. A verdade é que os restaurantes da Praça do Comércio costumam ser demasiado associados ao turismo e por isso, enquanto “locais”, passamos ao lado de algumas das maravilhas que por lá há. É o caso do espaço de que falo hoje.

 

O Populi é o último restaurante no lado esquerdo, para quem está virado para o rio, mesmo antes do espaço que foi em tempos a discoteca Lust durante o inverno. A comida é tipicamente portuguesa mas prima por uma apresentação bem mais convidativa do que os restaurantes mais tradicionais, e o espaço é incrível – já para não falar da simpatia dos funcionários.

Quando nos sentámos ainda era de dia, por isso vão reparar que à medida que a refeição avança a luz das fotografias também vai mudando. É pena, porque adoro as cores das primeiras fotografias – aquela toalha é mesmo fotogénica.

 



Fomos recebidos pelo gerente que nos apresentou o espaço e trocou dois dedos de conversa connosco, não só sobre as origens do Populi como sobre os seus clientes habituais – estrangeiros, na sua maioria, muito pelas razões que já falei acima. Enquanto esperávamos pelas segundas entradas, fomos devorando as primeiras na companhia de dois belos cocktails – o meu seu álcool.

As primeiras entradas servidas foram um tapenade de azeitonas e uma manteiga de trufas. Não sei qual dos dois era melhor, sinceramente. O Zé, que é o maior fã de trufas, ficou encantado com esta manteiga e não sobrou um bocadinho sequer para contar a história. Para acompanhar estas delícias vinha um saco super fofinho com focaccia de alecrim e pão de alfarroba.

Já estávamos rendidos, mas as amêijoas da Ria Formosa à bulhão pato e o camarão à la Guilho deixaram-nos K.O. Estava tudo super saboroso, muito bem apurado e sem invenções de condimentos gourmet, as receitas típicas foram respeitadas e não há nada mais delicioso que isso.

Terminadas as entradas estávamos prontos para dar o jantar por concluído, porque já estávamos bastante bem. Mas ainda quisémos provar o resto do que o Populi tem para oferecer.

 


Para pratos principais escolhemos o bacalhau lascado com tomatada de poejo e broa de milho crocante e o entrecôte com 30 dias de maturação acompanhado por legumes na grelha e feijão branco. Sou sincera, gostei mais do bacalhau, talvez porque devido à gravidez tivemos de optar por carne bem passada e por isso perdeu-se um bocadinho a magia do prato de carne, mas sem dúvida que o bacalhau me ficou mais na memória.

 


Para terminar, e porque somos um gulosos de primeira, dividimos um cheesecake de frutos vermelhos e um arroz doce da Avó Bia em mil folhas crocante. Uma sobremesa que importada e uma sobremesa muito típica portuguesa, mas as duas com uma apresentação bastante desconstruída e tão deliciosas como o resto. De comer e chorar por mais!

Os preços, não sendo completamente proibitivos, sabemos que não são os mais convidativos para jantares regulares de uma família portuguesa de classe média, mas com certeza que uma passagem pelo Populi durante este verão vai valer cada cêntimo e na verdade o melhor que levamos desta vida é aquilo que somos e que fazemos, e não aquilo que temos, por isso há que aproveitar! ♥

 

POPULI

Praça do Comércio, Terreiro do Paço, Ala Nascente
85-86, Baixa, Lisboa

 

Follow: