Guia de viagem // 2 dias em Paris

Guia de viagem // 2 dias em Paris

No início deste mês foi o meu aniversário, e não podia ter escolhido melhor maneira de passar esse fim de semana. Há muito que desejava visitar Paris mas às vezes adiamos demasiado as coisas e acabamos por nunca as realizar, é preciso perder a cabeça num momento, marcar tudo e pronto, não deixar margem para desculpas 🙂

A única coisa menos positiva destes 2 dias em Paris foi mesmo ter sido tão pouco tempo, muito mais havia para ver e fazer e sem dúvida que ficou o bichinho de voltar em breve. Ainda assim picámos quase todos os pontos principais de atração e tivemos tempo para vaguear pelas ruas de Paris e deixarmo-nos encantar.

 

O voo

Eu escolhi marcar os voos pela Ryanair, e acabei por conseguir que um dos voos ficasse a menos de 16€ o que significou que no fim paguei pouco menos de 120€ pelas quatro viagens (dois passageiros, ida e volta).

Se por um lado habitualmente as viagens pela Ryanair ficam mais baratas, o aeroporto onde aterram fica bastante longe do centro da cidade e o shuttle fica a 15€ cada viagem (portanto um total de 60€, ida e volta, para dois). Isso pode fazer com que o preço mais barato da viagem deixe de compensar, por isso comparem sempre com os voos da Easyjet por exemplo, que ficam mais perto da cidade.

Os horários dos voos também são importantes, nós chegámos numa sexta de manha da manhã e regressámos domingo de manhã.

 

Dormir

Estou uma fã incondicional do Airbnb e essa foi a minha opção para mais uma viagem. Ainda não tinha experimentado o Airbnb fora de Portugal mas sem dúvida que dificilmente me apanham novamente em hotéis, pelo menos na Europa. Escolhi uma casa que fica literalmente em frente aos Jardins do Luxemburgo e portanto mesmo no centro da cidade, e assim conseguimos visitar a cidade toda a pé sem ser preciso gastar dinheiro em metro, e ainda aproveitando para ver as ruas maravilhosas. O preço por noite estava a 53€, o que achámos mesmo muito aceitável dada a localização. Podem espreitar o espaço aqui, é um estúdio com kitchenet onde se está bastante bem, principalmente se for só um fim de semana, e se nunca usaram o Airbnb podem aproveitar a vossa primeira reserva com um desconto de 30€ se se registarem através deste link.

 

Comer

O que não falta são sítios para comer em cada esquina, mas é preciso ter atenção aos locais demasiado turísticos que têm preços mais altos e comida não tão típica. Por sugestão de um amigo fomos experimentar o Chez Fernand, que fica junto à igreja Saint-Suplice, e sem sombra de dúvida que foi a melhor decisão. O espaço não tinha turista, era literalmente tipicamente francês, e a zona onde fica tem imensa gente, cafés, restaurantes e bares – pelo menos é bem animada à sexta à noite. Pude comer comida tipicamente francesa e o jantar ficou por 60€, o que não é um preço nada de especial em Paris, ainda para mais para comer comida tão boa.

Nas restantes refeições acabámos por nos ficar pelo fantástico pão e os maravilhosos queijos, crepes, croissants… Todas as gulodices de Paris. Na verdade só lá fizemos dois almoços e dois jantares, e o almoço do primeiro dia foi mesmo comer qualquer coisa à pressa antes de ir fazer o check-in, porque entre o voo e a viagem do aeroporto à cidade, chegámos já à hora de almoço.

 

Visitar

Sabíamos que tínhamos, na verdade, um dia e meio para visitar a cidade, por isso não valia a pena grandes ambições de nos enfiarmos em tudo quanto era museu. No primeiro dia começámos nos Jardins do Luxemburgo, onde estávamos alojados, seguimos para a Catedral de Notre Dame, passámos ao lado do Louvre, Jardin des Tuilers, Praça da Concórdia, Campos Elísios e depois virámos à esquerda em direção à Torre Eiffel onde já só chegámos de noite. Fizemos tudo isto a pé e apesar de ser cansativo não é nada que não se faça, no entanto choveu continuamente nesse dia, praticamente desde a hora a que chegámos, e já só queria ir para casa enfiar-me no banho. Era o dia do meu aniversário mas sentia-me completamente de rastos. Ainda assim deu tempo de terminar a noite a jantar no Chez Fernand 🙂

No segundo dia acordámos com o sol a espreitar, e apesar do frio sabia muito bem andar na rua. Metemo-nos a caminho do Louvre onde passámos a manhã. Foi uma má escolha, porque acabei por não ver a Torre Eiffel de dia. Teria sido mais produtivo começar pela Torre Eiffel e vir andando na direção do Louvre onde terminaria o dia, pois lá dentro é indiferente se é de dia ou de noite. Mas pronto, vivendo e aprendendo! Visitámos o Louvre muito à corrida, porque aquilo é gigante e tínhamos decidido que só lá passaríamos uma manhã para não roubar mais tempo à cidade. Depois disso demos uma volta por Marais, um bairro com um ambiente fantástico que têm mesmo de espreitar, e voltámos a rumar à Torre Eiffel por um caminho diferente do dia anterior mas onde novamente não conseguimos chegar antes de anoitecer – mas desta vez houve direito a fotografias, embora tivesse começado a chover nessa exata altura.

O Arco do Triunfo e o resto da avenida dos Campos Elísios tínhamos visitado logo à chegada, já que o local onde o shuttle vindo do aeroporto fica é mesmo mesmo perto do Arco do Triunfo.

Não, não subimos à torre, não, não subimos ao Arco do Triunfo, sim, ficou muita coisa por ver e fazer. Não tivemos tempo de visitar Montmartre, a igreja Sacré-Coeur, Moulin Rouge, Disneyland, Museu D’Orsey, Palácio de Versalhes… São tudo coisas que quero muito visitar mas que em tão pouco tempo não dariam para encaixar.

Se quiserem passar a Disneyland, acho que 3 dias são suficientes para ver as coisas principais da cidade, com tempo, e podendo subir à torre. Se quiserem acrescentar a Disneyland, reservem um dia só para essa visita. Para aproveitarem a cidade sem pressas, 5 dias inteiros serão suficientes.

 

Os passes

Em Paris existem passes especiais para tudo, desde museus a metro, mas é preciso fazer bem as contas para perceber se compensa. No passe de metro o que compensa mais é a compra de 10 viagens, que vos sai a 1,45€ cada (no lugar de 1,90€), mas só compensa se tencionam andar mais do que 7 viagens. No nosso caso a estadia era tão curta, e tencionávamos andar bastante a pé, só fizemos uso do metro no dia de chegada para ir para o apartamento, e no dia de regresso para voltar para o local de onde partem os shuttles.

O passe dos museus é bastante atrativo, por menos de 50€ permite a entrada em montes de locais, mas na verdade é preciso terem tempo para o aproveitar bem. Lembrem-se que no primeiro domingo do mês há muitos locais de entrada gratuita, como o Louvre por exemplo, e o passe não inclui a subida à Torre Eiffel, por isso pensem bem antes de o comprar.

 

O que vestir

Ao contrário de Portugal, em que o sol brilha quase o ano inteiro e onde em alguns dias de novembro ainda parece quase verão, Paris é bastante fria no inverno e quente no verão. Fomos de 4 a 6 de novembro e apanhámos temperaturas entre os 4 e os 11 graus, mas em dezembro e janeiro as temperaturas são habitualmente negativas. Juntando chuva a isto, recomendo que usem roupa em camadas se forem no inverno, e pelo sim pelo não optem por umas botas resistentes à chuva e um casaco bastante quentinho. Cachecol, luvas, gorro… nunca são de mais e fazem mesmo falta!

 

Espero que tenham gostado deste resumo de Paris, obrigada por todas as vossas mensagens e apoio no Instagram, continuem a acompanhar-me por lá que vou tentando mantê-lo atualizado: @ohmariablog ♥

 

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-6

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-8

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-2

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-3

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-9

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-112

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-10

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-5

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-4

guia-de-viagem-2-dias-em-paris-1

 

Follow:

1 Comment

  1. 25 November 2016 / 12:05 am

    Adoramos esta publicação. Muito esclarecedora e muito importante para quem gosta de viajar, mas não tem assim tanta experiência, que é o nosso caso. Fazes mais destas? Pf? pf??? 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *