O que a série Black Mirror tem em comum com a blogosfera? [spoiler alert]

O que a série Black Mirror tem em comum com a blogosfera? [spoiler alert]

Fizemos a Passagem de Ano com amigos e foi a primeira vez que ouvi falar da série Black Mirror. Sou cliente Netflix há quase um ano, altura em que comecei a ver séries com mais afinco. Antes disso nunca tinha ligado muito a séries, preferia filmes que “de uma vez” consegues saber a história do princípio ao fim. Ainda continuo a preferir séries que já tenham acabado, mas já consegui encontrar algumas bem giras.

A Black Mirror não conhecia. Tem a particularidade de cada episódio ser fechado, ou seja, não tem relação com o episódio seguinte, e isso foi meio caminho para despertar a minha atenção. Para além disso, a série aborda o tema da tecnologia e o seu impacto na sociedade atual, mostrando as suas consequências – de uma forma um pouco exagerada.

 

Confesso, alguns episódios são giros, outros são um pouco aborrecidos, mas o 2º episódio da 1ª temporada chamou a minha atenção porque consigo fazer alguma analogia com a blogosfera.

Neste episódio as pessoas estão presas num espaço fechado e automatizado como membros de uma sociedade que pedala bicicletas estáticas para ganhar “méritos”, a moeda que utilizam para comprar o que precisam. Neste universo a pornografia é alimentada e uma das personagens tenta a sua sorte como cantora num programa de talentos mas acaba por ser aliciada para ser atriz pornográfica. O personagem principal, que estava apaixonado por essa personagem que foi ao programa de talentos, decidi tentar também ir ao programa – era preciso 15 000 méritos para comprar a entrada – e quando lá chega decide expressar a sua indignação. Critica o sistema, critica o que fizeram com a outra personagem, mostra todo o seu desagrado e ameaça suicidar-se. No fim, o júri impressionado com a atitude dele convida-o para apresentar um programa semanal em que poderá reclamar do sistema. Ele aceita e o programa é filmado como se ele estivesse numa “cela” normal igual à de todos os outros que continuam a pedalar bicicletas mas depois a câmara afasta-se e percebe-se que é só um cenário e na verdade ele está atualmente a viver num espaço super luxuoso.

 

O que é que isto tem a ver com a blogosfera portuguesa?

Muito. Estou neste mudos dos blogs desde 25 de janeiro de 2010, faz dentro de dias 8 anos. Já vi muita coisa. Já ouvi muita coisa.

Todas aclamamos que somos humildes, que temos os nossos blogs porque gostamos realmente do que fazemos, que nem ligamos a se temos parcerias ou não. Mas a verdade é que, a grande maioria, passa o tempo a criticar a pequena minoria que realmente conseguiu ter sucesso. Ou porque não percebem a razão do sucesso. Ou porque afirmam que as marcas escolhem sempre as mesmas e assim é fácil. Chegam mesmo a criticar a escolha das marcas dizendo que blogger X ou Y não tem nada a ver com a marca e blogger W ou Z é que deveria ter sido convidada.

Dando um exemplo real, em 2014 a Expocosmética decidiu fazer uma aposta diferente e, para além dos convites normais que envia todos os anos que dão direito a bilhetes e autocarro de ida e volta, convidou 5 ou 6 bloggers especificamente para um programa diferente. Essas bloggers tiveram direito a viagem de comboio, hotel, carros com motorista para as transportarem do hotel para a Exponor e de regresso assim como para o jantar que lhes organizaram nessa noite e um evento especial na discoteca Escada.

Essas foram a minoria que teve direito a um tratamento especial mas que foram cilindradas pela maioria nas redes sociais. As outras bloggers, que receberam apenas o convite normal, criaram até hashtags que diziam que não eram vips, que eram a ralé… coisas do género. Sim, muitas críticas foram para a organização, mas muitas também recaíram sobre as bloggers escolhidas.

Na altura eu fui uma dessas bloggers que teve direito a tratamento “vip”, e a pergunta que surgiu na minha cabeça foi: então se alguma dessas meninas que criticam fosse convidada iam dizer que não, era? Iam dizer “Desculpem lá, mas não é justo ser eu a convidada, vou-lhe indicar uma blogger que seria mesmo boa para convidarem”. Claro que não! Qualquer uma que tivesse sido convidada ia ficar feliz. Qualquer uma que tivesse aquela oportunidade ia agradecer por se terem lembrado dela. E não é egoísmo, mas nós não pedimos nada, não fomos nós quem fez a seleção, ficámos tão surpreendidas como todas as outras que não foram convidadas.

E este episódio de Black Mirror mostra exatamente o que se passa na blogosfera em Portugal. Se não fazemos parte do sistema, se somos pequenos ou não temos muitas oportunidades, criticamos tudo e todos. Mas se tivéssemos uma oportunidade para passar a fazer parte desse sistema que criticamos, nem pensávamos duas vezes!

Quem é que não quer crescer? Quem é que não quer ser reconhecido pelo seu trabalho? Quem é que diria que não a uma oportunidade boa? Mesmo que soubessem que podem existir bloggers que se enquadram melhor com determinada marca, mas se a marca vos escolheu a vocês foi por alguma razão, independentemente do que vocês acham ou do que as outras bloggers acham.

Sim, conheço meia dúzia de pessoas que não querem mesmo fazer parte do sistema. Que estão à parte porque querem, e que criticam mas também não aceitariam passar a fazer parte. Mas são tão poucas, que quase nem contam. A larga maioria tem sempre um dedo para apontar, mas não perderia a oportunidade se a tivesse.

 

Por isso deixo-vos esta mensagem, antes de gastarem o vosso tempo e energia a disparar em todas as direções porque também gostavam de estar em determinado patamar, invistam antes o vosso tempo a olhar para o vosso projeto e a fazer o melhor para o levar para o patamar que querem. Precisam de ajuda? Enviem um email para ola@criarumblog.pt ou espreitem mais em www.criarumblog.pt

(Visited 341 times, 1 visits today)
Follow:

5 Comments

  1. Ska
    16 January 2018 / 12:40 pm

    Sim. A metáfora do episodio é precisamente essa. E com todo o respeito, este episódio saiu há 4 anos, e essa análise já foi feita ad nauseum desde então.

    • 16 January 2018 / 5:25 pm

      Por acaso nunca li nenhum outro post que fizesse esta comparação, muito menos com este caso em concreto da Expocosmética. E como só agora vi a série, só agora falei nisto. Mas também todas as bloggers de beleza já falaram sobre como combater a celulite e não é por isso que passa a ser um post menos válido 🙂 Mas obrigada pelo teu comentário Zazu, um beijinho*

  2. 15 January 2018 / 10:23 am

    Vi o episódio e detestei o final. Mas realmente reparei que é a realidade do nosso dia a dia. Julgamos que o jovem personagem iria recusar tal papel, seria ridículo juntar-se a eles mas foi exactamente o que aconteceu. Somos lançados aos tubarões e com a insistência do público, foi obrigado a ceder.
    No entanto, já que falaste no exemplo da Expocosmética, e como profissional que sou, esses convites VIP deveriam ser entregues, também, às profissionais, clientes assíduas, que realmente trabalham na área, seja cabelo, estética, beleza, saúde e bem estar, sejam merecedoras disso. Termos algum reconhecimento faz-nos bem. E colocando na pele de quem estuda, trabalha e consome variadíssimos produtos, um convite VIP, uma formação ou um vale será sempre bem vindo. Falando por mim e provavelmente pelas profissionais.

    • 16 January 2018 / 5:27 pm

      Claro, mas neste caso nem foram os profissionais da área que reclamaram. E acredito que sejam duas vertentes completamente distintas e geridas de forma distinta. Porque uma coisa são os profissionais, e as vantagens que lhes são ou não dadas, e outra coisa é a imprensa na qual as bloggers estão inseridas- As bloggers não são convidadas para ir comprar produtos, são convidadas para divulgar a feira às centenas/milhares de seguidores que têm.

      • 17 January 2018 / 4:13 pm

        Nós também podemos divulgar produtos, experimentar outros produtos e aprender novos protocolos. É uma área que se está sempre aprender como deves saber. As bases são dadas nos cursos mas depois depende de quem descobre, experimenta e demonstra resultados. Se nós tivessemos essa oportunidade, era uma mais valia, para as meninas, mulheres, senhoras que vão ao centro/instituto de beleza, demonstramos e mimamos. As bloggers (que também sou) também vão a institutos de beleza.