Pea on board #5 // Estar grávida é maravilhoso? Não!

Pea on board #5 // Estar grávida é maravilhoso? Não!

Uma das primeiras coisas que ouvi assim que engravidei foi “Aproveita, estar grávida é maravilhoso, vais ter saudades”. Na altura, por entre todo o choque e emoções, achei que era natural num primeiro momento não sentir que fosse assim tão maravilhoso mas que provavelmente com o passar do tempo fosse chegar lá. Qual quê!

As pessoas que dizem isso é para se convencerem a elas próprias não é? Ou então ter a criança cá fora é tão mau que entre uma e outra até preferem a gravidez. Não sei, o que sei é que estou grávida de 7 meses e NÃO, estar grávida não é maravilhoso!

 

Ora, começando pelo primeiro trimestre: não conseguia parar de pensar na gravidez e de falar sobre o assunto, 24h por dia; sentia-me enjoada como quando se vai de costas no autocarro ou no comboio, 24h por dia; tinha de comer bolachas assim que abria os olhos, porque se fizesse qualquer movimento para me levantar era vómito na certa; a barriga ainda não se notava o que fazia com que tivesse de ir em pé ou de costas no autocarro, ou ficar eternidades em filas, quando sentia que ia vomitar a qualquer segundo.

O segundo trimestre, que até é o melhorzinho: a barriga começou efetivamente a crescer, portanto a roupa deixou praticamente toda de servir e não há dinheiro para um extreme makeover de guarda-roupa que depois vai servir para absolutamente nada, o que significa que sentia que andava quase todos os dias com a mesma roupa; fome 24h por dia que não passava nem com um plano todo XPTO feito por uma nutricionista, mas não podia ceder a essa fome para não engordar horrores; dor ciática sempre que caminhava mais de 30 minutos, ou que estendia a roupa, ou que fazia algum esforço, ao ponto de ficar sem conseguir mexer uma das pernas e das lágrimas escorrerem pela cara tal não era a intensidade da dor; quebras de tensão frequentes, que com este calor e a tendência natural para a tensão baixa, nunca estou com mais do que 9/5; por causa da tensão baixa, muitas tonturas e sensação de desmaio; sono, sono e muito cansaço.

Agora ao entrar no terceiro trimestre: a barriga já não me dá descanso por isso dormir mais de 2h seguidas é uma tarefa impossível; após noites e noites sem um sono descansado, começa a ser uma aventura conseguir levantar e trabalhar durante todo o dia a falar com clientes, em frente a um computador ou ao telefone, a minha cabeça parece que vai explodir; a bexiga está cada vez mais comprimida o que me faz ir à casa de banho de 30 em 30 minutos; efetivamente já só meia dúzia de peças pré-gravidez é que me servem, a sorte é ser verão e os vestidos na Primark serem baratos; ir para a praia todo o dia como fazia antes avizinha-se impossível, já que não tenho posição para estar na toalha e o calor torna-se insuportável em poucos minutos; uma azia descomunal, coma eu o que comer, do mais simples ao mais complexo; estar sentada torna-se desconfortável, com tanta mama e barriga tudo a comprimir; eu que praticamente só transpiro se estiver a praticar exercício físico à torreira do sol, agora dou por mim a suar com muito mais regularidade; tenho tanto calor que só me apetece andar nua, mas não convém sair de casa nesses preparos; calçar os sapatos é uma aventura, e posso dar-me por feliz por ainda não ter os pés inchados.

 

Sim, pensar em ter o baby M. nos meus braços é maravilhoso, mas o processo até lá – e ainda não chegámos ao parto, que deve ser outro daqueles momentos em que juramos que nunca mais vamos voltar a engravidar – é penoso e muito desconfortável. Estar grávida é um suplício, mesmo com todos os sentimentos bons que tem associado, e já só desejo que isto acabe de uma vez por todas! Por isso, a não ser que o Martim seja tão insuportável que me faça ter saudades deste sofrimento, duvido que vá dizer a alguém “Aproveita, estar grávida é maravilhoso, vais ter saudades”.

 

E por aí, mais alguma grávida que se identifique? :p 

Follow:

3 Comments

  1. Paula
    21 August 2017 / 5:04 pm

    Identifico me bastante com o que escreveste, não achei a gravidez um estado de graça. Os enjoos, a azia, não poder ou conseguir comer certas comidas, não conseguir fazer certos movimentos ou demorar imenso a fazer uma tarefa…

  2. Raquel
    16 June 2017 / 1:30 pm

    Olá olá 🙂

    Estoy gravida,e contrariamente, acho mesmo maravilhoso! 😊 Os primeiros dois meses não foram, muitos enjoos, sono e cansaço, mas agora que já passei dos três meses sinto-me cheia de energia e realmente sinto-me maravilhosa! Mas claro que cada gravidez é uma gravidez.
    Espero que tudo corra bem daqui para a frente e desejo-te uma “horinha” pequenina!

    😘

    • 19 June 2017 / 8:47 am

      Oh Raquel, ainda bem. haja alguém ehehe Um beijinho muito grande e tudo de bom para ti também! <3