Um novo emprego em 5 passos

Um novo emprego em 5 passos

A minha vida profissional tem sido uma grande aventura. A bem dizer, a aventura começou logo na faculdade tendo deixado o curso de Direito ao fim de quatro anos para embarcar em Marketing, mas o reboliço continuou mesmo após a faculdade.

Já trabalhei em várias coisas, em várias empresas, e se fui muito feliz a fazer algumas delas, de outras fugi a sete pés assim que tive oportunidade.

Sei que muita gente não gosta do trabalho onde está mas, por causa da situação assustadora de instabilidade em que o país (ainda) se encontra, raramente pondera mandar tudo à fava e procurar um novo desafio. É assustador? Sim! É difícil? Não tanto como parece.

Hoje vou dar-te algumas dicas baseadas na minha experiência que te poderão ajudar a ter força para te livrars daquilo que não te faz feliz.

 

1. CV atualizado e original

O primeiro passo é atualizares o teu CV. Seja o LinkedIn ou um documento que envias em anexo nas tuas candidaturas – sempre em pdf, NUNCA em word. Evita o Europass – a não ser que a empresa o peça especificamente – e faz um CV fresco, fácil de ler e que marque pela diferença começando logo pela diferença visual. Se estás numa área criativa podes arriscar mais, se estás numa área mais conservadora faz algo mais minimalista. Exemplo de um CV que serve para qualquer área.

 

2. Pesquisa intensiva

Se tens um trabalho, e não tens uma almofada financeira para simplesmente te despedires – ou não queres arriscar assim tanto -, o melhor que tens a fazer é começares à procura enquanto ainda estás a trabalhar. Deixa claro às empresas a quem envias candidaturas que estás a trabalhar no momento e que só podes estar presente em entrevistas fora do teu horário laboral. Arranjar um novo emprego pode demorar algum tempo mas não desistas, aproveita o facto de ainda teres um emprego – mesmo que mau – para procurares algo que valha mesmo a pena.

 

também “4 coisas que aprendi com a minha mudança de trabalho”

 

3. Trabalhar a rede de contactos

Seja no Facebook, no LinkedIn ou pessoalmente, interage com pessoas que trabalhem na tua área – familiares, amigos ou antigos colegas de trabalho. Começa com interações simples e depois combina um almoço ou um café, alguma oportunidade de conversa onde possas deixar claro que estás à procura de um novo desafio e se a pessoa puder ajudar tanto melhor.

 

4. Enviar candidaturas espontâneas

Nem sempre os melhores empregos se encontram nas ofertas publicadas pelas empresas. Elabora um email curto mas interessante sobre o teu percurso, as tuas qualidades e as razões porque gostavas de trabalhar em determinada empresa e envia para a empresa. Toma a iniciativa, não tens nada a perder e podes ter uma agradável surpresa.

 

Lê também “6 passos para deixares de te sentir perdida”

 

5. Continuar a evoluir

Enquanto não encontrares nada que realmente valha a pena podes sempre investir em formação. Cursos de menor duração são excelentes para aprofundar conhecimentos, enveredar por uma área na qual não tens grande experiência profissional – enriquecendo o CV – e conhecer novas pessoas abrindo ainda mais horizontes e aumentando as hipóteses de arranjares um novo emprego. Atualmente existem ofertas no mercado para praticamente todas as áreas e em algumas delas existem até opções de formações online em que não precisas de sair de casa para aprender e desenvolver novas competências.

 

O truque é seres persistente e não desistires à primeira dificuldade. Encontrar um emprego novo pelo qual valha a pena trocar o velho exige disciplina, perseverança e consistência. Todos os dias novas propostas chegam ao mercado e é preciso estar efetivamente muito atento para não deixar passar nenhuma oportunidade ao lado. A juntar a isto, este processo exige muita atenção ao detalhe – lê sempre várias vezes a proposta de emprego antes de responderes – e habilidade para adequar o texto do email à função a que se estão a candidatar – lembra-te sempre de destacar as experiências que mais se assemelhem à função a que te candidatas, ou que te muniram de capacidades requeridas pela empresa no anúncio. E, acima de tudo, deixa os medos de lado. Qual é efetivamente a pior coisa que te pode acontecer? Ficar sem emprego? Ok, e se ficasses sem emprego involuntariamente como solucionarias o problema? Então talvez esse seja o teu backup no caso das coisas não correrem bem, no entanto a probabilidade disso acontecer, se seguirem corretamente os passos acima e não derem um passo maior do que a perna, é mínima. Força! ♥

(Visited 921 times, 1 visits today)
Follow:

2 Comments

  1. 5 November 2017 / 10:01 pm

    é sem dúvida um grande desafio quando estamos descontentes com o trabalho e pensamos em mudar. Surgem tantas dúvidas e incertezas mas se não estamos bem, temos de mudar! Realmente, quando começamos a enviar CVs parece que vai tudo acontecer muito depressa, mas não. Às vezes há entrevistas, outras vezes nem notícias durante semanas. Mas é como dizes e bem – o importante é ir evoluindo no trabalho, arranjar experiência, arranjar tempo para investir na formação e continuar sempre à procura de uma melhor oportunidade. Assim que fazemos a primeira mudança, aí já sabemos como construir melhor o nosso caminho!

  2. 25 October 2017 / 8:30 pm

    Gostei muito deste teu post e identifico-me! Já passei por algumas experiências profissionais e, quando senti que não dava mais para mim, a urgência de mudar era iminente – afinal o trabalho ocupa grande parte da nossa vida e, se não podermos fazer aquilo que gostamos, pelo menos que gostemos do que estamos a fazer.
    Acho que não podemos ter medo de arriscar, apenas temos de garantir a nós próprias que vamos fazer os possíveis para continuar a lutar pelo que queremos (mesmo que, por vezes, tenhamos de dar alguns passos atrás).

    beijinhos *
    18 and a life

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *